sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

EU POSSO SENTIRA

Eu posso sentir
Percorrer seu sangue
Em minha língua
Em sua garganta
Sedenta cheia de gozo
Molhada de mim
Em posta a mim
Essa excitação toda
Matarei suas vertebras
Cometerei delitos
Em suas fendas
Descobertas 
Por mais que eu grite
Qualquer nome
E me ponho ao tenho
Em minhas presas lhe
Agrido sem talvez querer
O seu frio do qual eu toco
Molho-me
Em mim me cala

POESIA DE BEY CERQUEIRA

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

SÃO TANTOS

São tantos os seus encantos
Nos entre cantos 
Que me encanta me dobra 
Deixa-me louca 
Explodo dentro de mim
Úmida nua desprovida
Largada solta apenas para te
Possuir

POESIA DE BEY CERQUEIRA

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

TEU SEXO

Teu sexo me encanta
Tuas mãos aos teus longos
Dedos me tocam
Alucinam-me
Fazendo o meu corpo
Tremer de tesão
Suas águas
Banham-me
Vermelha ardida 
Ardia eu mordo e te chupo
Sangro-me tu marcas meus dentes
Minha língua manterá
Extremamente limpa
Pelo teu gozo

POESIA DE BEY CERQUEIRA

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

ÉS TU MESMA

És tu mesma
Vem baixinho
Seja leve assim 
Deixa-me leve também
Solta em meus braços
Que eu abraço-a inversamente
Na sua relva ou vou ser 
Selvagem posta coragem
Na sua selvageria
Agarra meu braço
Beija minha boca
Morde minha língua
Depravada me faça ser
Esse fogo nos queima nos atinge
Marca nossas entranhas
Queima a lenha endurecida
Sobre seu sexo amadureço-me
Dentro de ti adormeço

POESIA DE BEY CERQUEIRA

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

SEM PRESSA

Sem pressas, sem jogos, com presas, quero ter você, tocar sua pele, beijar morder sua carne, embrenhar-me sobre o teu corpo molhado, e nele me inundar matando até a minha sede, dentre suas moradas, entrelaça-la para não escapar-te de mim. 

FRASE DE BEY CERQUEIRA

domingo, 29 de novembro de 2015

QUANDO

Quando entrelaçarmos, vira-se.
E me deixa tocá-la
Não tenha medo
Não vou te machuca

POESIA DE BEY CERQUEIRA

sábado, 28 de novembro de 2015

CONSIGO DE LONGE

Consigo de longe sentir o seu cheiro, framboesa, morango com chantili, e vou caminhar sobre seu corpo molhado, pelas ou seja lá de que forma for, na frente aliciar-te entre meus joelhos.

FRASE DE BEY CERQUEIRA

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

DESCE LADEIRA

Desce ladeira, balança as cadeiras.
Dança um samba, sacode a poeira.
Cabelos negros longos dentre meus dedos
Ponho-te nas minhas coxas
Arrasto-a pelas paredes e beijo nessa
Boca grossa macia 
Mulher de longas estradas
De curvas perigosas 
Que permite eu tocá-la
Entrelaça-la em meus braços
E dentre meus abraços
Beijar seus seios....

POESIA DE BEY CERQUEIRA

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

RUAS NUAS

Ruas nuas
Cruas senhoras
Escuras ruelas
Cheias de labirintos
Terra molhada
Cheiro do ventre
Entranhas duras
Imundas as roupas
Abaixo 
Silhuetas avançadas
Sobre diversas 
Facetas articulosas
Cometendo delitos

POESIA DE BEY CERQUEIRA

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

A ARTE DE ADOLFO


ENTRE NOSSOS SEXOS

Entre nossos sexos
Existe diversos segredos
Você mudou de posição
E eu continuo na mesma
Amo-te tanto
Entre linhas nós, nos  lemos 
Nas superfícies eu lhe aplumo
Roço-lhe
Submeto-lhe a escravidão
De mim então me 
Aperta
Deixa-me perder nessa 
Sua mata
Deixa-me tocar
Dentre suas entranhas
Rasga-me
Eu me abaixo
Ao seu ventre

POESIA DE BEY CERQUEIRA

terça-feira, 24 de novembro de 2015

ESTRANHAMENTE

Estranhamente estou muito cansada, cansada de lutar contra o tempo, de dar murro em ponto de facas, de correr atrás de você, de estar nua a tua espera, abro a janela, deixo a porta entre aberta, abro meus pontos ao vento que sopra, e uma maresia lambe com força minhas fendas.

FRASE DE BEY CERQUEIRA

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

EU FICO LOUCA

Eu fico louca 
Em me nutrir de vocês
Ave rapina, teu corpo mexe.
Com o meu, tua pele eu quero.
Acariciar, 
Felina mulher das minhas beiras
Encantadora....

POESIA DE BEY CERQUEIRA

domingo, 22 de novembro de 2015

VOU ENTRAR

Vou entrar, por favor, me deixe.
Deixe-me entrar 
Na sua garganta profunda
Beijá-la
Molhar teu canto posto
Tuas beiradas em mim
Bem colocadas
A pele a química
Decifra nós duas

POESIA DE BEY CERQUEIRA

sábado, 21 de novembro de 2015

QUANDO AS ASAS

Quando as asas se entrelaçam, as aves se envergam, enquanto as coxas entre pontos se penduram, no galho, num balanço, endurecer-se ao ponto, de seus delitos.

FRASE DE BEY CERQUEIRA

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

É BOM DEMAIS

É bom demais perder-se
Na sua selva
Mergulhar limpando
Seus matos
Bebe da sua seiva
Embriagar-me entre suas
Travas suavemente

POESIA DE BEY CERQUEIRA

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

AS ÁGUAS

As águas que descem, sobre essas pedras, se desviam do caminho, acham-me, vem com uma fúria, entrando, penetrando nas minhas raízes, purificando meus desejos, aliciando minhas vontades, nesse meu corpo nu, sem pressa, trepidando, me fazendo tremer de dor.

FRASE DE BEY CERQUEIRA

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

ÁGUAS

Águas que descem suave, sobre pedras, pernas fechadas, desviando nossos caminhos, não tenho ações, nem atos, palavras jogo ao vento, apenas jogatina, um jogo de cartas, para o lado da carne, eu durmo sobre meus braços, que serás única mulher de minha vida, não tenho dúvida disso..

FRASE DE BEY CERQUEIRA

terça-feira, 17 de novembro de 2015

AGORA

Agora vai ser assim
Como um animal faminto
No cio na beira sem beira
Amar e gozar.
Toca minhas costas
Com forças minha felina 

POESIA DE BEY CERQUEIRA

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

DEIXE ROLAR

Deixe rolar
Deixa para lá então
Vamos encontrar uma saída
Eu vou entender
Deixa a suavemente 
A delicadeza nascer
Novamente entre nós duas
O que for de melhor que seja
Vamos gozar com a vida
Vamos nos molhar de prazer
Segurar o que podemos
Sem nos machucar
Não vamos, por favor, 
Perder-nos novamente
Quem sabe da próxima vez
A química esteja ao nosso favor
Que possamos então
Amar com intensidade

POESIA DE BEY CERQUEIRA

domingo, 15 de novembro de 2015

VOU SEGURAR

Vou segurar você
Assim tão aconchegante
A mim
Vou dizer bem baixinho
O quanto eu necessito
De você
Vou postar no seu corpo
O que em mim
Necessito

POESIA DE BEY CERQUEIRA

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

NOSSO SEXO

Nosso sexo, um sobre o outro, descansa entre nossas coxas, no balançar, bem abraçadas mataremos nossas vontades, desejos, alucinógenos, já estamos nuas, em larga escala, em pleno voo,  para deslizar-se sobre mim, sem pressa.

FRASE DE BEY CERQUEIRA

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

PELA MINHA

Pela minha transparência
Tu sabes o que eu preciso
Dentro de sua garganta
Abre suas pernas e a fecham
No seu profundo eu vou-me
Abaixando meu corpo todo
Sente o seu descanso
Seja suave
Brava
Arranha-me
Seja 
Leve
Úmida
Mexe sem pressa
Arrasa-me 
Agarra meus braços e
Beija minha boca

POESIA DE BEY CERQUEIRA

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

AGORA ME DEIXA

Agora me deixa 
Percorrer
Sempre
Deixa-me entranhar
Devagar
Molhar-me
Tua carne
Seu sexo
Embrenhar
Em tu mesmo
Deixa-me ser
Seu animal
Um só
O que te satisfaz
Nua
Molhada
Em meu sexo

POESIA DE BEY CERQUEIRA

terça-feira, 10 de novembro de 2015

MINHA MULHER

Minha mulher tu sentirás o quanto posso lhe servir como homem, quando sentir descer meu suor em minhas coxas, contra a sua que meus pelos iram arranhá-la, suas fendas, abriram em meus dedos grossos, nesse vai e vem, perde totalmente o juízo, não precisa ter juízo, não deixarei tê-la, minha boca viril, em seus seios, aperta a minha nuca, porque vou morder a, lhe deixando mansinha, em meus braços ajusto seus cabelos, mais o vente bate forte, a noite toda acaricia suas películas, num imenso galope, encharco-me, em nossos encaixes, endurecendo o músculo que pulsa quente, dentro do seu corpo.

TEXTO POEMA DE BEY CERQUEIRA

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

DEIXA ROLAR

Deixa rolar 
Seja pulsante
Transgrida todas as leis
Infrinja minhas raízes
Minha língua sobre teus seios
Com a força das suas entranhas
Joga-me na sua cama e, por favor,
Faça-me gozar

POESIA DE BEY CERQUEIRA

domingo, 8 de novembro de 2015

QUERO

Quero a sua nudez em mim brilhando, não quero discutir, abre=-se e não me convença ao contrário.

FRASE DE BEY CERQUEIRA

sábado, 7 de novembro de 2015

MEU PROPÓSITO

Meu propósito de vida
É ter o que eu desejo
Meu propósito de vida
É tê-la em meus braços
Não sei se nesses propósitos
Você se encaixa
Mais sei que eu poderia
Coloca-la ao meu lado e lhe dizer
Acariciando-a em seus princípios
O que de melhor eu possa em seus
Pontos lhe proporcionar

POESIA DE BEY CERQUEIRA

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

PRECISO DA SUA NUDEZ

Preciso da sua nudez
Exposta sem perdão 
Sem remorso até sem amor
Ao meu devaneio troca meu nome
Preciso dessa sua loucura
Puxando meus cabelos
Exposta numa ternura infinita
Depois deite em meus braços
Espreguiça 
Durma gemendo falando
O meu nome

POESIA DE BEY CERQUEIRA

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

DEIXA CORRER

Deixa correr suavemente, me deixa tocá-la, olhar dentro dos teus olhos, percorrer suas costas, dedilhando-a, sem pressa, e deixa mais, eu tirar suas roupas dançando um tango, e bem devagar, coloca-la entre minhas coxas, deixando-a bem a vontade, para amaciar o seu ponto fraco.

FRASE DE BEY CERQUEIRA

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

VOCÊ ME BASTA

Você me basta 
Vê-la hoje foi maravilhoso
Baste-se foda-se o meu
Inverso de ti
Foi o que me disse
Então me junta a ti minha senhora
Joga em mim o seu jogo sujo
Suas manobras que eu entendo
Porque quero me lamber entre
Seus acasos

POESIA DE BEY CERQUEIRA

terça-feira, 3 de novembro de 2015

A ARTE DE ADOLFO


TUA PELE

Tua pele macia basta-me
Teu olhar carinhoso seu
Sexo me atinge ultrapassa qualquer 
Razão que eu possa ter
Perco a rédea até as regras
Do bom senso
Infrinja-me atingi-me 
Que eu lhe mostrarei
Meus jogos de pernas

POESIA DE BEY CERQUEIRA

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

CONTINUO

Continuo ardentemente 
Querendo-te tanto....
A hora está chegando
Falta muito pouco
Essa minha ansiedade uma hora
Vai me matar ....fecho as pernas
Apertando o meu ponto G
O tempo necessário queima-me
Amo-te muito minha senhora
Impropriamente lhe digo:
Bendita seja suas cicatrizes
Vou acariciar pegar tuas mãos
Beijá-la inversamente deixando
Sempre a excitação nos banhar

POESIA DE BEY CERQUEIRA

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

....pois é

........pois é nem sempre relembra do passado, é tão ruim assim, principalmente para quem está se reencontrando, ou tentando se encaixar-se, o tempo não deixa escapar nada, estaremos salvas de não cometer os mesmos, pois esses já aprendemos, mais não estamos salvas de cometermos outros tantos erros, muitas vezes precisamos, olhar para trás, para hoje vivermos como amantes em busca sempre da perfeição, da busca de melhores valores, de uma cama sem precisar apoiar-se no chão, do café da manhã quentinho, daquele olhar, canto de olho, que nos faltou na juventude, dias melhores, seremos completa, tentaremos ser uma só, nos dando mais uma oportunidade da união quase perfeita, da qual os erros não vão se repetir, aprendemos, nos amamos, tivemos paixões alucinantes, hoje em busca desses momentos, deparamos com o tempo, longo, tenho absoluta certeza que desta vez, envelhecendo-nos nas nossas amplitudes, seremos completas, e se por um acaso, com certeza cometermos erros, não serão os mesmos, serão mais maduros, e nós também estamos mais maduras, graças a Deus.

TEXTO DE BEY CERQUEIRA

EU JURO QUE

Eu juro que irei
Abraçar-lhe numa intensidade
De sufocar em mim as suas
Vontades que me deixam
Em chamas postas invertidas
A sua nudez espelhada
Tu quente saboreia a minha
Espia ao vento que bate
Na cortina nos deixa mudas
Molhadas
Cansadas na beira
Do sofá escorregadio 

POESIA DE BEY CERQUEIRA

terça-feira, 27 de outubro de 2015

ESTA MUITO QUENTE

Esta muito quente, dentro do seu short, as beiras das esquinas fazem meus olhos, olhar a sua curva, que me dá tanto desejo, tu és exuberante, me faz pulsar, pressiono porque quero apenas namorar-te, nesta estrada longa que abaixo me deixa totalmente excitada,  no horizontal, terás tudo, que precisas, até um laço lhe ponho, está tão fraco que o vento desamarra você, ai nesse momento, o seu corpo cai sobre mim, nos tornarmos uma só, nessa linha vertical,  enquanto eu ainda posso possuí-la.

TEXTO POEMA DE BEY CERQUEIRA

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

EM UM MOMENTO

Em um momento muito cansado
Envelhecido
Extremamente pressionado
Meus pensamentos dos mais 
Sacanas dentro de minhas
Necessidades
Estou exausta apenas me deixa
Recostar-me no teu ombro
Beijar tua boca sentir teu cheiro
E dizer que te amo muito

POESIA DE BEY CERQUEIRA

domingo, 25 de outubro de 2015

TERÁS

Terás tudo de mim, até o meu inverso, mais não conte comigo, ao seu longe encanto, porque ai, eu me desequilibro;

FRASE DE BEY CERQUEIRA

sábado, 24 de outubro de 2015

MUITAS VEZES

Muitas vezes eu sou imprópria
Na hora exata
Nem sei se a janela
Fecha ou abre
No meu toque
É esse movimento
Que encanta-me

POESIA DE BEY CERQUEIRA

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

QUERO LHE MOSTRAR

Quero lhe mostrar tantas coisas, enfeitar-te em minhas fantasias, que são tantas, preciso criar, construir, até nas horas impróprias, aquela que não dispomos, disposta pressionar o que mais lhe traga prazer, vais pulsar em mim, vou passear sobre teu corpo, desvelar em ti alguns dos meus desejos, destruir sua privacidade sobre a minha, porque somos duas mulheres individuais, nossas convergências, é que nos faz dançar um balé clássico, nas pontas dos pés.

TEXTO POEMA DE BEY CERQUEIRA

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

ESTE

Este estranho poder delicado
Dentro de mim totalmente
Desfalecido angustiado
Requintes de loucos mudos
Sem alicerce 
Quiseres imprudente
Abaixa a ditadura
Fale baixo
Grita menos dentro seus refúgios
Queima sua língua apodrecida
Caco de gente saiba que eu também 
Tenho dentes 

POESIA DE BEY CERQUEIRA

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

QUERO NESSE AMOR

Quero nesse amor, sentir sua força, com força o encontro dos nossos sexos, como um laço, sem nó, é claro, quero brincar, deliciosamente, namorando cada detalhe seu, lhe amordaçar, apenas para escutar o seu ungido, baixinho, numa ingenuidade, louca em poder possuí-la, na minha ressaca, quero beber do seu vinho, que lhe banha dentro suas pernas.

TEXTO POEMA DE BEY CERQUEIRA

terça-feira, 20 de outubro de 2015

CANSADA

Cansada
Embrenha no meu 
Erotismo 
Exótica como fruta do conde
Eu exploro porque quero 
Alcançar-lhe 
Apodera-se sem pedir
Licença eu permito
Vou caça-la nesta mata
Jogá-la pelo chão 
Deixar o mar lamber suas entranhas
Arranha-la sobre o tronco
Que ele custe pela natureza
Forte 
E você não terá saída
Meu corpo é quente
Nessa quentura o prazer 
É a nossa casa

POESIA DE BEY CERQUEIRA

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

SOBRE MEUS LÁBIOS

Sobre meus lábios
Entre nossas bocas pequenas
Venha me castigar
Mexe com os meus cabelos
Entorpece-me exoticamente
Nessa fissura que treme

POESIA DE BEY CERQUEIRA

domingo, 18 de outubro de 2015

NESSA ROÇA


Nessa roça imunda
Nesse florescer
Ventania posa
No roçar
Não me diga além
Nem me pergunte por quê
Não questione as minhas razões
Nem quero saber
Nessa roça molhada
Em um beco sem fim
Empurra-me para dentro de ti
Depois para aonde eu me encontro

POESIA DE BEY CERQUEIRA

sábado, 17 de outubro de 2015

JUNTAREI

Juntarei os nossos mundos
Agarrarei nos sues galhos
Eles são quebráveis
Frágil
Pendura-se no meu cabelo
E vem descendo em minhas
Costas suadas
Murmura
Meus ouvidos soam
A sua delícia porque
Capta a sua voz

POESIA DE BEY CERQUEIRA

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

ARRANHA-ME

Arranha-me toda
Deixa-me enfurecida 
Eufórica
Completamente louca
Sem palavras
Com gestos e um
Olhar que possa lhe convencer
Apenas o suficiente
Para balançar no seu 
Cansaço sobre teu mistério
Extremamente delicado
Numa lua cheia

POESIA DE BEY CERQUEIRA

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

BATE NA PORTA

bate na porta e pergunta se eu estou, se eu responder, é porque eu talvez simplesmente não queira falar com você, mais te aconselho meu amor, pule a janela, você verá o quanto eu já te esperava.

FRASE DE BEY CERQUEIRA 

DERRAMADA

Derramada em euforias
Embriagadas
Aperto suas ancas
Ponho você sobre mim
Na beirinha brincamos
Ficas ereta e eu 
Sadicamente te tranco 
Dentre minhas pernas
Minha pele úmida pinga suor 
E dentre meus dedos molhados
Você se se extasia 

POESIA DE BEY CERQUEIRA

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

NOSSAS GRUTAS

Nossas grutas com requintes
Roçam-se
Derrama lama que entranha
Dentro de nossas pernas
Você morde minha cara
Meu pescoço
Meus ombros
Toca meu seios
Em um dos altos momentos de
Putaria contigo está vermelha
Castigada mais eu lhe retoco

POESIA DE BEY CERQUEIRA

terça-feira, 13 de outubro de 2015

DOS TEUS TOQUES

Dos teus toques
Reviro-me em teus apegos
Vibramos como uma corda
De violino quando estamos
Com nossas mãos entrelaçadas
Meu deito no teu peito
E sinto aconchegada como é
Bom à orgia castigada
Entre nós duas

POESIA DE BEY CERQUEIRA

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

POIS É

Pois é no vai e vem 
De nossos momentos
Manejo o barco sozinha
Preguiçosa minha
Menina linda
No doce amargo
Nesse sexo alucinante
É por ai, é bem por ai
Que nos encontramos

POESIA DE BEY CERQUEIRA

domingo, 11 de outubro de 2015

VIRO-TE

Viro-te
Reviro 
Pesquiso 
Teu corpo
Minha fêmea
Sou seu lado do avesso
Meu amor
Manejos
Suas entranhas
Seus encantos

POESIA DE BEY CERQUEIRA

sábado, 10 de outubro de 2015

DIZEM QUE É AMOR

Dizem que é amor
Não, não é eu garanto.
Eu tenho certeza que é
Apenas sexo 
Muito sexo
Sex em chamas dos apegos
Vira-me do avesso
Maneja-me
Dobra-me depois deixa 
Que eu te comando

POESIA DE BEY CERQUEIRA

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

ESSA MÃO BOBA

Essa mão boba
Safada
Envolvendo meu corpo
Que é teu
Tua danada
No seu uivar quando
Nesse fogo todo
Nossos corpos queimam
Tesão necessitado

POESIA DE BEY CERQUEIRA

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

SUA LÍNGUA

Sua língua percorrendo todo o meu corpo, me atrevo a mordê-la, euforicamente, aperto nossos pontos, já não estava aguentando mais de saudade, em deslizar-me sobre o teu fogo, viril, fazendo na cama minhas poesias eróticas, nesse exato momento, mais do que nunca, preciso de você dentro de mim, fêmea amada minha.

FRASE DE BEY CERQUEIRA

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

LATENTE

Latente
Latejante
De lado
Deliciosa
Bebo seu mel
Melado
Percorro
Suas vírgulas
Coloco-lhe
Dentro de mim
Admirando o teu olhar
Enquanto suas pernas
Abre e fecha sobre meus
Dedos 

POESIA DE BEY CERQUEIRA

terça-feira, 6 de outubro de 2015

SOCADA

Socada nessa profundeza 
Sinto a saudade de você mulher
Bebendo-me percorrendo meu corpo
Puxando meus cabelos
Arranha-me toda
Nesse galope desenfreado 
Toco tuas entradas
Minha cara senhora
Molha-se toda me curando 
Bebo você por que tu 
Lateja em minha boca
Dentre meus dentes
Uso uma algema e 
Tu uma espora

POESIA DE BEY CERQUEIRA

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

NOSSAS PELES

Nossas peles tem química
Nossas línguas numa saudade
Profunda suplica latejando nossos
Pontos mais fracos
Enquanto uma parte se fecha
A outra se abre como uma pétala
De rosas vermelhas
Num mato fechado
Cheirando jasmim

POESIA DE BEY CERQUEIRA

domingo, 4 de outubro de 2015

SUORES

Suores, que fazem da sua pele, um desejo feito moldura, essa sua elegância de mulher, quando em mim estás, posta nua, espelhada sobre meus encantos, entre sacanagens gostosas na cama, desalinhada, lhe busco atrevidamente.

FRASE DE BEY CERQUEIRA

sábado, 3 de outubro de 2015

A TAL RETICÊNCIAS

.....a tal reticências que tantos odeiam, nelas eu procuro respostas, e as encontro, encontrar buscando de cada algum momento, no qual o tempo levou, que eu quero reaver, em mim, então buscar-me, vou também abraçar-me, para tentar resgatar, diminuindo a dor que dói, sem querer....

FRASE DE BEY CERQUEIRA 

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

UNE SEUS

Une seus fluídos aos meus
Lubrifica-me com seu néctar
Os meus caminhos tu conhece
Reza sobre eles bendito seja
Que eu irei lhe abençoar com
Minhas águas 

POESIA DE BEY CERQUEIRA

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

COLOQUE

Coloque essa tua mão 
Dentro minhas pernas
Que vou pulsar
Funda-se em brasa meus apegos
Enrosca-me preciso 
Manejar suas entradas
Deslizar o teu corpo 
Sobre minha testa 
Nessa banheira cheia de espuma
Trocamos silêncio você consegue
Envolver-me em teu fogo
Fico queimada entre as pernas
Faça-me tremer selvagemente
Maldita mulher

POESIA DE BEY CERQUEIRA

terça-feira, 29 de setembro de 2015

ABAIXO DO UMBIGO

Abaixo do umbigo te viro do avesso
Meu ventre pulsa
Toco-te totalmente com ternura
Mais você pede com força
Suas vértebras eu conheço todas
Com as pontas dos meus dedos
Eu lhe faço carícias
Molho sua boca ressecada 
Com o nosso maior tesão
Pego gelinho
Sopro e o vento lhe esfria as
Temperas em fino trato que nos deixa
Alucinadas você é uma
Mulher da virada 
Minha amante quente
Que me adoça a boca

POESIA DE BEY CERQUEIRA

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

SADICAMENTE

Sadicamente mulher cheia de graça
Entorpecida de mel doce que me mela 
Um mar aberto eu teu olhar
Funde-se em minhas coxas porque eu vou
Revirar-me para acompanha-la

POESIA DE BEY CERQUEIRA

sábado, 26 de setembro de 2015

ENTORPECIDA

Entorpecida eu estou
Também cheia de graça
Trancada em um porão
Sujo, imundo, fede a sexo.
Abençoada pelo teu corpo
Que cheira fêmea
Leva-me sua selvagem

POESIA DE BEY CERQUEIRA

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

EU TENHO

Eu tenho esse direito de invasão, precoce, em ver o teu corpo vibrando, sobre o corpo de outra, mesmo sangrando, sobre toques sutis, profundo, ventre exposto na minha gula feroz, aonde meu ser grita, um nome qualquer, nessa febre que me consomem imagináveis sensações que faz meu território, salientar-me, já cansada, seu gozo jorra em minha boca, inevitável, entre duas damas da noite, que de camarote eu assisto, nua posta a hora aonde aperto meu ponto G.

TEXTO POEMA DE BEY CERQUEIRA

terça-feira, 22 de setembro de 2015

NESSE CALOR INTENSO

Nesse calor intenso
Cheia de suas carícias
Coloco-me na beirinha bato
Bem forte aonde finge não 
Saber 
Finge não saber
Fere-me
Fere-se na ponta do sofá
Vamos brincar nesse fogo
Que arde nossas entranhas e
Sem limites te quero nua
Com todas as bocas cegas
Dentro do meu território cheio de 
Saliência derrama em nós
Suas águas porque quero bebê-las
Aperta-me dentro de suas pernas
Desliza

POESIA DE BEY CERQUEIRA

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

PODE PEGAR


Pode pegar a sua vergonha
E escondê-la dentro dos meus
Gestos totalmente sem vergonha
Quero consumir o teu fogo
Sobre toques sutis 
Tocar o teu rosto
Nessa ternura eterna
Por toda a minha vida

POESIA DE BEY CERQUEIRA

domingo, 20 de setembro de 2015

EU SEI QUE NÃO EXISTE.....

Eu sei que não existe consciência, e porque sei disso, sei porque com certeza os contratempos, existem, simples .....


FRASE DE BEY CERQUEIRA

E DE TUDO

E de tudo
Faz-me fingir
Ao recebê-la em mim
Esse calor intenso
Eu quero brincar
Profundamente dentro 
De você

POESIA DE BEY CERQUEIRA

sábado, 19 de setembro de 2015

COMO UMA SUAVE

Como uma suave olhada de canto de olho, eu me encantei, passei a me tocar como se fosse  em você, seu canto solene, me lembro do seu sorriso, numa melodia dentro troca de línguas, muita sedução, em seu  balançar, num ritmo duro, ereto, entre nossos corpos de fêmeas.

TEXTO POEMA DE BEY CERQUEIRA

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

SOBRE

Sobre as sua timidez
Minha entranha ferve
Exposta em mim
Num ritmo do meu corpo
Que balança a rede ao
Galope desta égua veloz
Em rédea
Sobre o pelo nu dessa potranca
Na minha gula feroz você a mim
Condiz porque tu estas 
Em pleno cio

POESIA DE BEY CERQUEIRA

quinta-feira, 17 de setembro de 2015

SUAS GARRAS

Suas garras, seus dentes afiados estão escondidos, minha fera indomável como adora o seu gravar, essa sua falta de linha, por ai você consegue me tirar do sério, eu fico louca, seus seios sobre minha sedução, que eu toco, nesse momento, nesse exato momento, logo toca uma suave melodia, entre nós duas.

TEXTO POEMA DE BEY CERQUEIRA

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

FICA POSTA

Fica posta, exposta sobre minha boca.
Terás sensações até que eu duvido
Sobre fogo que pulsa no avesso 
Dentro do meu corpo
Agarro você atrevidamente 
Engulo-te, deslizo em rumo aos seus.
Arrepios, pedidos, gritos.
Banho-me nas entradas lascivas 
Aonde nessa morada eu lhe mordo
Desnorteadamente

POESIA DE BEY CERQUEIRA

terça-feira, 15 de setembro de 2015

ESSE FOGO

Esse fogo que queima
Dentro do meu ventre
Dentro do teu corpo
Faz-me pulsar te faz
Arder com isso
Limpas o meu íntimo
Explode meu sexo
Nossas roupas rasgadas pelo chão
Uma grande poesia neste exato
Momento começa a se formar
Entre nós duas

POESIA DE BEY CERQUEIRA

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

PRAZER

Prazer em feras contidas
Nessa magia toda cheia
De grandes emoções das quais eu
Deleito-me de tanto amor
Fico sem rumo sem direção
Na beira das suas esquinas
Eu me divirto
Deita-te sobre mim
Toca-me, por favor,

POESIA DE BEY CERQUEIRA

sábado, 12 de setembro de 2015

VOCÊ SABE

Você sabe do que eu quero
Tu és capaz até de adivinhar
Esse meu ritmo
Pega o gelinho
Minha felina

POESIA DE BEY CERQUEIRA

quinta-feira, 10 de setembro de 2015

No profundo

No profundo de suas fendas
Minha língua passeia retendo
Seu líquido na ponta
Suas pétalas voam sobre minha
Boca gritei de tanto tejo
E seus urros fizeram até as portas
Tremerem

POESIA DE BEY CERQUEIRA

quarta-feira, 9 de setembro de 2015

ATRAQUEI-TE

Atraquei-te por trás
Tomei-te pelas beirinhas 
Puxei suas pernas
Arranhei-te pelas escadas
Pouco a pouco
Com meus dentes arranhei
Todas as suas peças íntimas
Impropriamente
Deliciosamente

POESIA DE BEY CERQUEIRA

terça-feira, 8 de setembro de 2015

QUE AS MINHAS

Que as minhas
As tuas mãos 
Na minha velha dor
Enche nossas convulsões
Ocupa toda minhas entranhas
Tira-me o sono que eu 
Deixo-lhe molinha.

POESIA DE BEY CERQUEIRA

segunda-feira, 7 de setembro de 2015

QUE

Que entre suas curvas, eu me deslizo, deparo-me com uma caverna inundada, mato minha sede.

FRASE DE BEY CERQUEIRA

sábado, 5 de setembro de 2015

TIRA-ME

Tira-me o sono
Me pega pelo braço
Agarra minhas mãos
Coloca-as 
Toca meu rosto
Deixa-me
Agora 
Apaga a luz

POESIA DE BEY CERQUEIRA

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

MULHER ASSIM

Mulher assim eu me descompasso
Nessas suas fendas
Esse teu olhar
Novamente me fazem pecar
Faço coisas que até u mesmo
Duvido nas suas dobras
Já entreaberta eu cheiro 
Seu cio a cor
Vermelha intacta
Toco-me 

POESIA DE BEY CERQUEIRA

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

QUE POSSAMOS

Que possamos ser, sermos, doce nas mudanças das estações, porque isso é a marca que deixamos para o outro ano, mesmo que desafinadas, num som acústico, num ambiente rustico , dançando aquela música, que tanto amamos, que mesmo nos desencontros, possamos ser doce, algumas mudanças, pelas veredas, nesse passo errado, nas mãos entrelaçadas, encostadas sobre nossas cicatrizes, mesmo assim as estações vão passar,  que possamos então sermos um encanto, uma prosa, enquanto decidirmos o nosso quereres, queremos tantas coisas, até sermos amantes, e com a delicadeza de duas mulheres que se querem tanto, chegaremos ao próximo ano, com mais encantamento do avesso, do ano que já passou, mais que não foi nos roubado, o aperto daquele abraço, daquela cama, daquele olhar que nos chama.

TEXTO POEMA DE BEY CERQUEIRA

NOSSOS CORPOS

Nossos corpos recompõe sobre essa maneira única de nós duas, no raso de sua fenda, nesse olhar que nos alucina numa ternura de menina, uma fissura que se salienta, dentro de minha boca, suas mãos suaves, contra as minhas endurecidas, molhadas, desprovidas, que descerra sua flora, que me embriaga em mil fantasias.

TEXTO POEMA DE BEY CERQUEIRA

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

PODER

Poder acostumá-la na rédea
Nessas formas indefinidas
Eu vou adorar
Vivo dentro deste pecado
Quando me encontro em teus abraços
Como tu mulher nos seus segredos
Necessita colar esse ébrio 
Naquela dobra de esquina então
Atreve-te que eu lhe arrasto
Sobre mim

POESIA DE BEY CERQUEIRA

terça-feira, 1 de setembro de 2015

AMPARA

Ampara o meu pasto com calma
Com uma faca bem afiada
Usa seus pés em mim
Convide-me que farei um poema
Um programa em teu corpo
Toque minhas mãos
Quero sentir seus costumes
E os barganhar
Num ritual de plenitude prazer
Eretas pulsantes completamente
Impróprias 

POESIA DE BEY CERQUEIRA

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

EU FICO DESESPERADA

AH!!!!! Eu fico desesperada
Quando não consigo tocá-la
Como eu necessito
Temos que ter cuidado com
Os estranhos
Nessas entranhas
Porque ele também tem boca
E suas cavernas são profundas

POESIA DE BEY CERQUEIRA

domingo, 30 de agosto de 2015

VAMOS NOS UNIR

Vamos nos unir nessa 
Minhas entranhas que vagueiam
Nesse meu prazer
Eu vou para outros braços
Inocentemente eu clamo por 
Você
Não me importa fêmea amada
Beija-me

POESIA DE BEY CERQUEIRA

sábado, 29 de agosto de 2015

O AMOR

O amor mesmo não sendo
Perfeito nem único
Ele me reluz
Entre mãos que se tocam
Nesse prazer sem pudor
Num olhar único
Na metade dessa maçã
Que nós reluz

POESIA DE BEY CERQUEIRA

SE EM TUDO

....se em tudo nas reticências eu pudesse fazer a luz, eu me reduzia a vela, que além de me dar o que necessito, chora pelas suas rédeas, eu tenho certeza que apagaria todas as luzes da cidade, para que ninguém pudesse enxergar-me, chorando, para que ninguém pudesse, ver meu rosto marcado, não que eu tenha medo disso, apenas não quero, vou deixar ler minha alma, vou declamar, até confessar, mais jamais deixarei transparecer-me totalmente, disso eu tenho certeza....

TEXTO POEMA DE BEY CERQUEIRA

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

POSSUA

Possua meu corpo
Seu reino me convence
Quando me tocas
Sinto-me um macho
Fêmea posta em mim
No cio
Perfeita harmonia de nós duas
Desconexo esse estado
Admito o avesso e 
Escorrego sobre sua boca
Molhada

POESIA DE BEY CERQUEIRA